Sou muita ternura ou chama , sou amor e paixão , sou meiga e sonhadora, uma sonhadora eterna ! Sou assim e assim, romantica , selvagem, calma e feroz, mas... sincera

Eu mesma!

Selo para Levar Consigo


terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Frio-quente




Calafrios...
no meu corpo
conjurado
é beijo na boca da tua mão
veste-me a pele quente
arrepios...

abusados
de paixão


Ardente

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Som do corpo

Danço-me...
És corpo que oiço
...quando me toco

És o som do amor

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

O que preferes?





O que preferes,
morrer de amor ou paixão?

Excita-me, sim, excita-me, até que o coração doa de gemer, a pele seja o puro acto de prazer

Leva-me à loucura, selvagem, provoca-me, atiça-me, acende-me o fogo que o corpo procura

Sê homem o bastante, viril, apaixonado, amante, carne, carne viva, que vive e sabe amar, desafia-me, toma coragem, aluado, beija-me com os dedos, voa no toque, endurece o teu mais sagrado, faz uma viagem, descobre os meus segredos, entre caricias e lágrimas, sem paz, usa as tuas asas com apetite voraz

(imortal, a pele no seu pulsar)

Suga-me, devora-me, bebe dos meus seios e sente, crava no ventre, mesmo que seja com os dentes, brinca com a língua, nos ombros, nas nádegas, pernas e não te esqueças dos meus pés, grita, treme, faz o que quiseres, mas entra em mim, abre a porta do vulcão, sente a vulva ardente, o cabo das tormentas em excitação, o sangue quente!

Quero-te puro, doce, amargo, verdadeiro, não gosto do inverno, penetra-me, quero o inferno, ser o mar que cobre as tuas mãos em desejo, tu e todo por inteiro e virar sol, terra, o vento, respirar o teu odor, suar em orgasmo, dançar um louco amor, confundir o tempo e com entusiasmo!

E por fim se a sede ainda for muita, sacia-te na minha boca, bebe de mim, bebe-me toda, porque ainda sou muito louca!

( a água pode ser doce, salgada, cuidado, é sedenta a madrugada)

O que preferes, sumo ou vinho, calma ou perigo?
fode-me, fodemos, morre e morremos
igual o que escolhes, renascerei contigo

Algo mais belo, do que fazer amor comigo?


sábado, 1 de fevereiro de 2014

Intemporal





E eras tu, era eu, éramos nós e o amor
de repente...estávamos sós

Estás ali, estou aqui, intemporais
esquecer-te, jamais

Ainda respiras no vento, o  perfume que exala da minha flor?

para lá dos astros





Adormeci as palavras, que escrevi
(retornei onde fiquei e outrora me perdi)

Na memória da minha boca, é doce o beijo

Dispo-me na casa do teu corpo, abro a porta do segredo
com dedos e sedas, flutuamos, sou tua inteira
a saudade é mar que desagua na pele sem medo
e assim te amo, ousamos, emoção pura e verdadeira
(para lá dos astros)

Eu sou o voo a caminho do nosso desejo
(volto sempre a ti nas asas dos teus lábios)

Tanta poesia, amor, tanta poesia, que sonhei por ti
( posso confessar-me? sempre te amei)