Sou muita ternura ou chama , sou amor e paixão , sou meiga e sonhadora, uma sonhadora eterna ! Sou assim e assim, romantica , selvagem, calma e feroz, mas... sincera

Eu mesma!

Selo para Levar Consigo


terça-feira, 13 de maio de 2014

Morte indesejada




Despertei de braço dado com o tempo
(juiz de todos os medos)

A memória assaltou aqueles momentos
que desejei enterrar para sobreviver
no fantasma do passado e a revolta do meus erros
acordei a morrer


Relembro cada pedaço do que fui, sou e possui
mar revolto, calmo
o que destruí e construí…

O mundo das lembranças e tudo me consome

suicídio da pele, a prisão onde a alma se isolou
algemada de emoções, liberto-me num grito silencioso
atiçando a chama das recordações onde tudo começou

Os sentimentos condenam-se com fome....

A dor esgota-me as forças, fere-me os lábios saudosos
o toque maquiavélico dos dedos procura reviver
os gestos de um poema na caricia de sermos nós
(ouvindo-me no corpo tanto querer)

Penso e repenso, soluços e saudades
amor proibido nas madrugadas em receio
do abandono entre tantas flores
e ainda respiro o teu cheiro

Cega das lágrimas
a poeira da solidão crua
tão minha e longe da tua

No abrigo da melancolia, adormeço para esquecer

O funeral da mágoa ressentida num pranto diário
dos versos inacabados que envelheceram na mente
o desejo consumido, sofrimento sem horário
e esse pesar ardente que uma flor sente

Fecho a cortina dos olhos, sonho viver
( invento o sol do teu sorriso para não chover)