Sou muita ternura ou chama , sou amor e paixão , sou meiga e sonhadora, uma sonhadora eterna ! Sou assim e assim, romantica , selvagem, calma e feroz, mas... sincera

Eu mesma!

Selo para Levar Consigo


quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Oração de Amor





E por fim senti...

Abres-me os sonhos da vida
todas as rezas são aguarelas
pinceladas no santuário das minhas asas

No veludo dos meus olhos
chorei dentro de ti









Almas no tempo






Os meus dedos ainda dançam...
perdidos na pele, respiram-te o cheiro

Os meus olhos ainda amam
procuram uma melodia sem lágrimas

As mãos ainda choram...
o desejo do teu mundo inteiro
(pulsar de sabores que nunca se foram)

O toque ainda escreve
o coração das palavras

Perdoa-me...
vive-me no corpo a saudade
( sentimento das horas sem piedade)

E o teu amor é voz muda
o grito que não dou em liberdade

Ainda se unem as almas...
festa de borboletas despidas





terça-feira, 25 de novembro de 2014

Cansada




Nada
apenas resta o nada
estou cansada

Cansada de me agradar
agradar-vos
e sofrer punhaladas

Cansada da perfeição
muito amada e pouco amada
perto de ser imperfeita
e chorar por ser magoada

Estou sim, cansada!
dos dias, das noites em vão
do tempo sem dormir e em serão
à procura da solução
derivando entre o sim e o não

Cansada!
dos elogios quando dou e estou presente
e ser relembrada nos piores momentos
cansada da ganância, do abraço longe de mim
esfaqueada quando me encontro no chão e algo é ruim

Cansada!
de julgamentos
de criticas destrutivas, sem calma
de conselhos vazios, amargos
de peritos, grande sabedores, sem alma

Cansada!
que me apontem o dedo quando erro
esquecendo que sou mulher e humana
cansada das palavras onde me enterro
sentimentos pisados e tudo me engana

Cansada!
do pranto à partida
do choro à chegada
em função da vida

Cansada!
de sorrir com a dor a torturar
da cruz que carrego anos seguidos
e a saudade a atormentar

Tenho os ombros doridos, o coração despido
sob a melancolia crepuscular
dos meus dias, tristonhos, sombrios, perdidos
dedos a sangrar de tantos versos por expressar

Quem, quem, procura saber ou entender?

Esgotada
não falem o meu nome sem ouvir a razão

Estou cansada, repito, cansada!
preciso respirar

domingo, 23 de novembro de 2014

Nada é e tudo é



O jardim não é de pedra

Seios respiram flores
no astro do ventre
toques sorvem suores

O coração é felicidade

Beijos dançam na eternidade
incendeiam-se segredos
mãos cegas descobrem a intimidade

A mente apaga o tempo

Da urgência dos sentidos
paixão a transbordar, mel e ternura
e...a língua
(incansável, paladar a sussurrar loucura)

Os sonhos não são mudos

Nuvens ao vento, odor agreste
no berço do espaço, taças cremosas
o sabor de nós, perfume celeste

A melodia não é distante

Tu, doçura ou amargura, feroz
entre a espera e a esperança
o sorriso da tua voz

Desvenda-me ilhas que não sei
tenho sede para descobrir
o que ainda não te dei